Resenhas

Resenha de livros

Li até a página 100 - Cidades de Papel



 Olá Malfeitores, como vão? ^^

 Infelizmente semana passada não tivemos postagem, agora estou tendo que cuidar de tudo sozinho no Malfeito Feito, e as aulas meio que começaram (pra quem não sabe, estou há quase três meses sem aula, por conta da greve de professores aqui de São Paulo), então virei um zumbi ambulante.

 Recentemente comecei a ler "Cidades de Papel", do John Green, e me surpreendi com a história. Ouvi todo mundo falar que a história é ruim e tudo mais, mas, na minha opinião, é besteira!

 Cidades de Papel foi o melhor livro do John Green que li até agora. Já li A Culpa é das Estrelas e O teorema Katherine. Confesso que todas as negatividades que ouvi sobre Cidades de Papel, se aplicam em O Teorema Katherine...



Sinopse:


Cidades de Papel - Em Cidades de papel, Quentin Jacobsen nutre uma paixão platônica pela vizinha e colega de escola Margo Roth Spiegelman desde a infância. Naquela época eles brincavam juntos e andavam de bicicleta pelo bairro, mas hoje ela é uma garota linda e popular na escola e ele é só mais um dos nerds de sua turma.


Certa noite, Margo invade a vida de Quentin pela janela de seu quarto, com a cara pintada e vestida de ninja, convocando-o a fazer parte de um engenhoso plano de vingança. E ele, é claro, aceita. Assim que a noite de aventuras acaba e um novo dia se inicia, Q vai para a escola, esperançoso de que tudo mude depois daquela madrugada e ela decida se aproximar dele. No entanto, ela não aparece naquele dia, nem no outro, nem no seguinte.



Quando descobre que o paradeiro dela é agora um mistério, Quentin logo encontra pistas deixadas por ela e começa a segui-las. Impelido em direção a um caminho tortuoso, quanto mais Q se aproxima de Margo, mais se distancia da imagem da garota que ele pensava que conhecia.


Li até a página 100:



Primeira frase da página 100:

"- Eu estava contando pra sua mãe que tenho um sonho recorrente por ansiedade"

Do que se trata o livro?

 Quentin Jacobsen tem uma paixão platônica por Margo Roth Spiegelman desde que eram crianças. Mas Margo nunca demonstrou tal sentimento por Quentin. Os anos foram passando e a amizade dos dois foi se perdendo, mas Quentin continuava apaixonado. E é em uma noite qualquer que Margo aparece na janela de Quentin, convidando-o (intimando-o) a participar de uma missão na madrugada. Uma missão que envolve 11 problemas que deveriam ser resolvidos. Após a madrugada de vandalismo, arrombamento e invasão, Margo desaparece, e Quentin descobre pistas sobre onde ela poderia estar. Margo queria que ele a encontrasse.

O que está achando do personagem principal?

 Quentin é um garoto normal, com uma vida normal e um planejamento de futuro normal. Ele espera demais das pessoas e acaba criando uma visão perfeita delas. Ele as molda de acordo com a sua necessidade. Não que ele use as pessoas, mas ele me parece o tipo de gente esquentada que não costuma respeitar os momentos das pessoas.

Melhor quote:

- "EU NÃO TENHO CULPA POR MEUS PAIS TEREM A MAIOR COLEÇÃO MUNDIAL DE PAPAIS NOÉIS NEGROS!" ~Radar [Página 31]

Vai continuar lendo?

 Com certeza! Como disse, na minha opinião, Cidades de Papel é o melhor livro que o John Green já escreveu (e olha que nem gosto tanto assim dos livros dele).

Ultima frase da página 100:

"Minha mãe permaneceu quieta a maior parte do caminho."

Nenhum comentário: